sábado, 22 de julho de 2017

Crítica do Álbum "Lust For Life" - Lana Del Rey



Após liberar alguns hits, como : Love, Lust for life(feat.The Weeknd) , Coachella, Summer Bummer (feat. A$AP Rocky e Playboi Carti) e Groupie Love (feat. A$AP Rocky), Lana Del Rey, como é conhecida artisticamente, liberou nessa sexta-feira (21 de Julho) o seu quarto álbum.

O novo álbum se difere bastante dos outros por conta do grande número de participações. Nos outros álbuns só escutávamos a voz de Lana e já em “Lust For Life” tivemos colaboração de como Sean Lennon (em “Tomorrow never came”) e os rappers A$AP Rocky e Playboi Carti (em “Summer bummer” e “Groupie love”). Além disso, houve a participação de The Weeknd em “Lust For Life”. De’ (2016l Rey já participou dos dois últimos álbuns de The Weeknd sendo “Starboy” (2016) e “Beauty Behind the Madness” (2015).


Lana utiliza um lado mais político em seu novo trabalho, demonstrando um lado que não tínhamos visto ainda. Em "God Bless America and all the Beautiful Women in It", ela mostra-se preocupada e esperançosa com seu país. Alguns críticos acreditam que seja uma referência sobre os Estados Unidos. Em uma entrevista por telefone ao GLOBO:

"— Já cantei tanto sobre meus sentimentos, que agora também quero falar sobre outros assuntos — explica, destacando que “Lust for life” é seu trabalho de estúdio com mais referências ao cenário político." PARA LER EM: O GLOBO CLIQUE AQUI




Lust For Life traz novos elementos sonoros, assim como Ultraviolence abusava das distorções e Honeymoon das cordas, o novo álbum utiliza e prioriza instrumentos como o piano,guitarra e as batidas mais agressivas que acabam se tornando mais suaves diante dos toques lentos e calmos que os acompanham.


Alguns críticos, acreditam que Lana quis utilizar desse álbum, um álbum experimental, pois utilizou novas ferramentas que não deixou a desejar e que ainda por cima podem acrescentar muito em sua carreira.


5/5






domingo, 18 de junho de 2017

Crítica do Álbum Witness-Katy Perry




Com 21 anos, Katy Perry cantou que havia “beijado uma garota e gostado disso”. A canção polêmica foi reprovada pela sua família, que é religiosa, e foi aprovada pelos fãs. I Kiss a Girl completa ano que vem 10 anos após seu lançamento.

Katy Perry lançou no dia 9 de Julho o seu novo álbum com musicas inéditas. Witness, nome do álbum de uma das faixas, já possui três singles: Chained to the rhythm, Bon appetit e Swish swish. O álbum já era aguardado pelos fãs desde 2013, com seu último trabalho.




Durante um tempo que a Katy estava “escondida”, ela trabalhou com a sua equipe para descobrir e planejar um novo trabalho. Alguns críticos apontam grandes mudanças no seu estilo, mas na verdade ela apenas deixou de lado as letras mais “bobinhas” e mudou para um ritmo mais alternativo. Mesmo com essas mudanças, Katy deixou sua marca registrada, podendo ser reconhecida pelas faixas novas.

Recentemente, a cantora anunciou a turnê de divulgação do trabalho seu novo álbum , a Witness tour, que começa no dia 7 de setembro, na cidade de Columbus, em Ohio.


5/5

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Crítica do Filme Mulher-Maravilha



Primeiro filme-solo de uma heroína, após o fracasso de Elektra, Mulher-Maravilha sai das histórias em quadrinhos e vai direto para as telinhas. Com uma grande disputa entre os universos Marvel e DC, sempre vemos concorrências nos cinemas, só que dessa vez a DC ganhou a corrida e lançou o primeiro filme com uma protagonista feminina, deixando pra atrás o suposto filme-solo da Viúva Negra (Marvel).


O filme tem uma grande preocupação em explicar com muitos detalhes a historia da heroína. Nas primeiras cenas na ilha de Temyscira, nos deparamos com a pequena Diana, Princesa das Amazonas, sendo impedida pela sua mãe Hipólita (Connie Nielsen) de pratica técnicas de combate. Mesmo sendo impedida pela rainha, Diana começa a participar de pequenos treinos secretos com a sua tia Antíope (Robin Wright).


Após alguns anos, Diana (Gal Gadot) é obrigada salvar Steve Trevor (Chris Pine) que é piloto e espião americano, ele acaba caindo junto com seu avião na costa da ilha. Após retirar ele da água e lutar em um conflito com homens, Diana descobre que o espião está em um grande conflito que pode trazer danos para todo o mundo, e Diana resolve passar por cima das ordens de sua mãe e embarca para o campo de batalha junto com Steve.


O filme possui cenas humoradas,mas para o alívio dos fãs da DC, não chega nem perto do humor da Marvel. Acredita-se que a diretora Patty Jenkins tenha lido as críticas negativas de Batman Vs Superman e de Esquadrão Suicida, já que o filme apostou em um humor natural e não pecou novamente nas cenas dos confrontos. Todas as cenas de confrontos foram gravadas durante o dia, para evitar uma bagunça visual com os efeitos especiais e a iluminação dos cenários.


A escolha dos atores foi um dos pontos mais criticados durante as gravações. O ator repleto de altos e baixos, Chris Pine que interpreta Steve, foi alvo de boas críticas já que desenvolveu o papel com qualidade, porém não podemos comparar com o papel de Gal Gadot. Ela que foi alvo de muitas críticas durante a prévia do filme hoje recebe apenas elogios. O papel interpretado por ela, provavelmente já deixou a marca em sua carreira e carimbou a seu nome como atriz de Mulher-Maravilha.


Muitos fãs e críticos de cinema apontam o filme como uma crítica social, que apoia o feminismo e a luta das mulheres pela igualdade e que não usa a mulher como símbolo sexual, já outros acreditam que o filme é apenas o que faltava no mercado.

A personagem volta ainda em 2017 em Liga da Justiça. 


5/5